17/10/2008

...

"um dia
a gente ia ser homero
a obra nada menos que uma ilíada

depois
a barra pesando
dava pra ser aí um rimbaud
um ungaretti um fernando pessoa qualquer
um lórca um éluard um ginsberg

por fim
acabamos o pequeno poeta de província
que sempre fomos
por trás de tantas máscaras
que o tempo tratou como a flores"


"quatro dias sem te ver

e não mudaste nada
falta açúcar na limonada
me perdi da minha namorada
nadei nadei e não dei em nada
sempre o mesmo poeta de bosta
perdendo tempo com a humanidade"

* Pedaços de P. Leminski

2 comentários:

Karol disse...

o mesmo do mesmo.
tô com uma preguiça inacreditável,acho que vou virar um cnidário e sair boiando por ai.

ah meldels.
fuisme.

Maira disse...

salve os poetas que perdem tempo com a humanidade.. salve, rabonito...