28/05/2008

O Carrossel e o Cadilaque

E se o que deu início foi o disparate?

Um carrossel alucinado em plena pista
Insurgiu-se iluminado contra um carro!
E o jogou do outro lado da
Avenida Conde da Boa Vista.

Era um Cadilaque-Dinossauro!

– Mas, logo um cadilaque?
– Pois sim: O Cadilaque!
E, veja bem, era o carro do...
“– Ei, Vou certo Carro!”
– Disse o Carrossel para o Cadilaque, no momento do
Disparate-trombada-alucinada-e-absurda.

Está aí
O disparate
Do caso
Dito!
?
:
:

Uma gota de incerteza pinga qual lágrima-insídia
Que produz ondas de freqüências impossíveis e inescrutáveis...

Interferência.
Dano.
.

Com mãos de Fídias (o Grego), Certeza foi quem
Esculpiu a sua obra divina
Em tempos-dinossáuricos,
Quando Música se deixara
De imaterializar Crenças
Nos séqüitos de Dioníso!

Apolo murchou o instinto da vida.
Há que se retornar à vida!
Dançar com a vida!
Ter com ela.
Tentá-la.
Sê-la.
Tê-la.
Sêla-la.
Ser com ela.
Su-rrealizar na ida!
Soerguê-la acaso caída!
Que o ocaso seja o álibi de toda vida.


3 comentários:

Rosana disse...

Pois é, revendo a caverna da australopiteka encontrei seu comentário recente. O blog não existe mais, embora continue no ar.
estou no dialogos-impertinentes.blogger.com.br.
Quanto ao seu blog, muito bom.
Parece que vivemos mesmo à procura de pedaços, que como adágios, confortam nosso coração.

beijão

Rosana

Andróide disse...

qual lágrima-insídia, você é ótimo mano...

Andréa disse...

Muito bom André,muito bom!

:)